Local links run the world | Os links locais regulam o mundo

Deborah
Local links run the world
3 de fevereiro de 2018
Altered Carbon Humana
A pessoa que vem é a pessoa certa
6 de fevereiro de 2018

Local links run the world | Os links locais regulam o mundo

Deborah Review

Este importantíssimo  artigo de Deborah Gordon foi traduzido colaborativamente em menos de 24 horas. Foi puro trabalho em rede (usando uma mídia social como o Facebook, que não ajuda a viabilizar a colaboração ou o trabalho a várias mãos). Mas aconteceu nos dias 4 e 5 de fevereiro de 2018.

Agora vai começar a revisão. Quem puder ajudar a rever os 26 parágrafos traduzidos, por favor, deixe suas observações no campo de comentários abaixo, sempre fazendo referência ao número do parágrafo que está sendo revisado.

Colaboraram até agora o Hudson C F Freitas, a Flávia Machado, o Fernando Ferrari, o Severino Lucena (que foi quem achou o texto no Aeon), o Guga Casari, o Guilherme Witte Cruz Machado, a Marta Martinz, o Mario Salimon.

Não houve coordenação. Não houve encomenda dirigida, nem cobrança de resultados. Cada um escolheu os parágrafos que quis e fez um esforço para ver se eles já tinham sido traduzidos ou não. Mais ou menos como fazem as formigas.

OS LINKS LOCAIS REGULAM O MUNDO

Networks regulate everything from ant colonies and middle schools to epidemics and the internet. Here’s how they work

As redes regulam tudo, desde colônias de formigas e escolas fundamentais a epidemias e a internet. Veja aqui como elas funcionam

Deborah Gordon, Aeon, 01/02/2018

Deborah M Gordon is a professor of biology at Stanford University in California. She has written about her research for publications such as Scientific American and Wired. Her latest book is Ant Encounters: Interaction Networks and Colony Behavior (2010).

Deborah M Gordon é professora de Biologia na Universidade de Stanford, na Califórnia. Ela tem escrito sobre sua pesquisa para revistas como Scientific American e Wired. Seu último livro é Encontros de Formigas: Redes de Interação e Comportamento de Colônia (2010).

[1 = ORIGINAL] We live enmeshed in networks. The internet, a society, a body, an ant colony, a tumour: they are all networks of interactions, among people, ants or cells – aggregates of nodes or locations linked by some relation. The power of networks is in their local connections. All networks grow, shrink, merge or split, link by link. How they function and change depends on what forms, or disrupts, the connections between nodes. The internet dominates our lives, not because it is huge, but because each of us can make so many local links. Its size is the result, not the cause, of its impact on our communication.

[1 = TRADUÇÃO] Nós vivemos enlaçados/emaranhados em redes. A internet, a sociedade, um corpo, uma colônia de formigas, um tumor: são todos formas de redes de interação, seja entre pessoas, formigas ou células – agregados de nodos/nódulos ou locais/partes conectadas por algum tipo de relação/interação. O poder das redes está nas conexões/interações locais. Todas as redes crescem, encolhem, se fundem ou se separam (se conectam ou se desconectam), parte por parte, nodo por nodo, conexão por conexão. Como se organizam/funcionam ou se modificam depende de como se formam ou se rompem as conexões entre os seus nodos. A internet domina/permeia nossas vidas não por ser algo (em si) espetacular (grande), mas porque permite que cada um de nós possa fazer inúmeras conexões/interações locais (nodos). O seu tamanho (da internet) é o resultado, não a causa, do seu impacto na forma como, por meio dela, podemos nos comunicar.

[1 = REVISÃO] Nós vivemos emaranhados em redes. A internet, a sociedade, um corpo, uma colônia de formigas, um tumor: são todos formas de redes de interação entre pessoas, formigas ou células – agregados de nós ou locais conectados por algum tipo de relação. O poder das redes está em suas conexões locais. Todas as redes crescem, encolhem, se fundem ou se separam (se conectam ou se desconectam), ligação por ligação. Como elas funcionam ou se modificam depende de como se formam ou se rompem as conexões entre os seus nós. A internet domina nossas vidas não por ser gigantesca, mas porque permite que cada um de nós possa fazer tantas conexões locais. O seu tamanho é o resultado, não a causa, de seu impacto em nossa comunicação.

[2 = ORIGINAL] Nowhere is the decisive influence of local interactions easier to see than in ants, which I study. The local is all an ant knows. A colony operates without central control, based on a network of simple interactions among ants. These are local by necessity, because an ant cannot detect anything very far away. Most ant species can’t see, and all of them rely on smell, which they do with their antennae. The important interactions are when ants touch antennae, smelling each other, or the ground, smelling chemicals deposited by other ants.

[2 = TRADUÇÃO] Nenhum lugar possui influência tão decisiva sobre as interações locais de forma mais fácil de se ver do que uma colônia de formigas, onde faço meus estudos. Aquele local é tudo que as formigas conhecem. Uma colônia opera sem uma central de controle, baseada em uma rede de comunicação de simples interações entre as próprias formigas. Estas estão alocadas por necessidade, porque uma formiga não pode detectar algo que esteja muito longe. A maioria das espécies de formigas não pode ver, e todas elas confiam no olfato, o que elas fazem por meio de suas antenas. As interações importantes são feitas quando as formigas se tocam em suas antenas, cheirando umas às outras ou ao chão, cheirando elementos químicos depositados por outras formigas.

[2 = REVISÃO] Não existe um lugar onde seja mais fácil de se ver a influência decisiva das interações locais do que numa colônia de formigas, onde faço meus estudos. O local é tudo que uma formiga conhece. Uma colônia opera sem controle central, baseada em uma rede de interações simples entre formigas. Estas são locais por necessidade, porque uma formiga não pode detectar algo que esteja muito longe. Muitas das espécies de formigas não podem enxergar e todas elas confiam no olfato, o qual elas acessam por meio de suas antenas. As interações importantes são feitas quando formigas entretocam antenas, cheirando umas às outras ou ao chão, cheirando elementos químicos depositados por outras formigas.

[3 = ORIGINAL] The shifting network of brief interactions transforms a group of ants, each unable to assess any global purpose, into the orderly chaos that is ant-colony behaviour. In the tangled canopy of branches and vines in the tropical dry forest of the Estación Biológica de Chamela in western Mexico, turtle ants create and repair a circuit of trails that links their nests and food sources. The turtle ants never descend to the ground, so the trails can proceed only along a plant branch or stem. As each ant moves along, it puts down little drops of trail pheromone that quickly evaporate. Whenever an ant comes to a junction, where one stem crosses another, it chooses the path that smells most strongly of pheromone, which is the path that most ants took most recently. In this way, the trails of ants create a network within the network of tropical vegetation.

[3 = TRADUÇÃO] A mudança breve das redes de interações transforma um grupo de formigas, que são impossibilitadas a ter acesso a qualquer propósito global, no caos que é o comportamento anticolonial. No emaranhado de galhos e cipós na floresta tropical da Estación Biológica de Chamela, no oeste do México, as formigas tartaruga (uma de suas espécies) criam e reparam um circuito de trilhas que liga os seus ninhos e fontes de alimentos. As formigas tartaruga nunca descem até o solo, portanto, as trilhas só podem ser feitas ao longo de um ramo ou caule. Enquanto uma formiga se move, ela derrama algumas gotas do seu feromônio que evaporam rapidamente. Sempre que uma formiga vem de um cruzamento, onde uma se cruza com outra, ela escolhe o caminho onde cheira mais forte o feromônio, caminho pelo qual a maioria das formigas trilhou recentemente. Desta forma, as trilhas das formigas criam uma rede dentro da rede de vegetação tropical.

[3 = REVISÃO] A transitoriedade da rede de breves interações transforma um grupo de formigas, que são, cada uma, impossibilitadas de ter acesso a qualquer propósito global, no caos ordenado que é o comportamento colonial de formigas. No emaranhado de galhos e cipós da floresta tropical da Estación Biológica de Chamela, no oeste do México, as formigas tartaruga criam e reparam um circuito de trilhas que liga os seus ninhos e fontes de alimentos. As formigas tartaruga nunca descem até o solo, de forma que as trilhas só podem ser feitas ao longo de um ramo ou caule. À medida que uma formiga se move, ela derrama algumas gotas de feromônio de trilha, que evaporam rapidamente. Sempre que uma formiga chega a uma junção, onde um tronco cruza com outro, ela escolhe o caminho que cheira mais fortemente a feromônio, que é o caminho trilhado por muitas das formigas recentemente. Desta forma, as trilhas das formigas criam uma rede dentro da rede de vegetação tropical.

A diagram of a turtle ant trail network over several days. Courtesy the author.

O diagrama de uma rede de trilhas de formigas tartaruga durante vários dias. Cortesia do autor.

a

[4 = ORIGINAL] In the jungle, the network of vegetation can be broken. A passing chameleon can wipe out many nodes’ worth of ant trail by breaking a cluster of delicate intertwined vines and branches. The ants’ nests are made in the tunnels of larval beetles, who prefer to burrow in soft, rotting wood, and the result is that the branches with nests break easily. The nest lands on the ground and the ants pour out, many carrying larvae and pupae, and head up the nearest tree in search of the trail.

[4 = TRADUÇÃO] Na selva, a rede de vegetação pode ser quebrada. Um camaleão passando por ali pode acabar com muitas trilhas de formiga por quebrar aglomerados delicadamente entrelaçados entre a vinha e os ramos. Os ninhos de formigas são feitos nos túneis de larvas de besouros, que preferem se esconder em locais suaves de madeira podre, e o resultado é que os ramos com ninhos se quebram facilmente. Os ninhos caem no chão e as formigas caem, muitas delas levando larvas e pupas, e continuam seguindo até a árvore mais próxima em busca da trilha.

[4 = REVISÃO] Na selva, a rede de vegetação pode ser quebrada. Um camaleão passando por ali pode acabar com muitas trilhas de formiga por quebrar aglomerados de trepadeiras e ramos delicadamente entrelaçados. Os ninhos de formigas são feitos nos túneis de larvas de besouros, que preferem se esconder em madeira macia e apodrecida e o resultado é que os ramos com ninhos se quebram facilmente. O ninho cai ao chão e as formigas jorram de dentro pra fora , muitas delas carregando larvas e pupas, e se direcionam até a árvore mais próxima em busca da trilha.

A researcher pointing to node 5. Nest 3 is circled on the right amongst the tangled vegetation in which the ants build their networks. Courtesy the author.
Um pesquisador aponta para o nodo 5. O ninho 3 está em um circulo a direita no meio da vegetação emaranhada, aonde as formigas constroem suas redes. Cortesia do autor.

.

[5 = ORIGINAL] In response to any break in the trail, the ants repair it by slight alterations in their local, node-to-node choices of path. A group of students and I marked ants with nail polish, and found that day after day the same ants tend to use the same part of the network. But ants can’t always go in the same place or they’d never find new food sources. By putting out baits a few junctions away from the trail, I learned that ants sometimes veer off the path and follow the branch that does not have the most pheromone.

[5 = TRADUÇÃO] Em resposta a qualquer interrupção na trilha, as formigas reparam-na através de pequenas alterações em suas escolhas locais, nó-a-nó, do caminho. Um grupo de alunos e eu marcamos formigas com esmaltes de unha e descobrimos que, dia após dia, as mesmas formigas costumam usar a mesma parte da rede. Mas formigas não podem ir sempre ao mesmo lugar ou nunca encontrarão novas fontes de comida. Ao colocar iscas algumas junções longe da trilha, eu aprendi que as formigas às vezes desviam do seu caminho e seguem o ramo que não possui maior quantidade de feromônio.

[5 = REVISÃO] Em resposta a qualquer intervalo na trilha, as formigas reparam-na por pequenas alterações na escolha do caminho local, nó a nó. Um grupo de alunos e eu marcamos formigas com esmaltes de unha e descobrimos que, dia após dia, as mesmas formigas costumam usar a mesma parte da rede. Mas formigas não podem ir sempre ao mesmo lugar ou nunca encontrarão novas fontes de comida. Ao colocar iscas em algumas junções longe da trilha, eu aprendi que as formigas, às vezes, desviam do seu caminho e seguem um caminho que não possui maior quantidade de feromônio.

[6 = ORIGINAL] These local mistakes, taking a path that is not reinforced, are what make the whole network resilient. When the path is ruptured, some ants must abandon what has suddenly become a dead end. A few ants go to the node nearest the broken one and try from there to reach the original trail. (This is called ‘greedy search’ in the language of computer search algorithms.) Eventually the new part of the repaired path, linking the two ends of the original one, is reinforced by the ants coming from the other direction. Occasionally wandering off at junctions also allows the ants to find food, or shorter or less complicated paths, and prune unnecessary nodes or loops from the trail.

[6 = TRADUÇÃO] Esses erros locais, tomando um caminho que não é reforçado, são o que torna a rede inteira resiliente. Quando o caminho é interrompido, algumas formigas precisam abandonar o que, de repente, se tornou um beco sem saída. Algumas formigas vão ao nó mais próximo do quebrado e tentam a partir daí alcançar a trilha original. (Isto é chamado de “busca gananciosa” na linguagem de algoritmos de pesquisa de computador.) Eventualmente, a nova parte do caminho reparado, que une as duas extremidades do original, é reforçada pelas formigas provenientes da outra direção. Ocasionalmente, vagar nas junções também permite que as formigas encontrem comida ou caminhos mais curtos ou menos complicados e suprime nódulos ou laços desnecessários da trilha.

[6 = REVISÃO] Essas falhas ocasionais, quando se toma um caminho que não é o da trilha principal, são o que tornam a rede inteira resiliente. Quando o caminho é interrompido, algumas formigas precisam abandonar o que, de repente, se tornou um beco sem saída. Algumas formigas vão ao nó mais próximo do caminho interrompido e tentam a partir daí alcançar a trilha original. (Isto é chamado de “busca gananciosa” na linguagem de algoritmos de pesquisa de computador.) Eventualmente, a nova parte do caminho reparado, que une as duas extremidades do original, é reforçada pelas formigas provenientes da outra direção. Ocasionalmente, vagar nas junções também permite que as formigas encontrem comida ou caminhos mais curtos ou menos complicados, suprimindo nós ou laços desnecessários da trilha.

[7 = ORIGINAL] Local interactions among ants are the key to effective search. Collective search always involves a trade-off between thoroughness, ensuring that nothing is overlooked, and covering ground, ensuring that the entire area is searched. Consider what would happen if you lost a diamond ring on a football field. If you have just a few friends to help you search, they all have to move around a lot to cover the whole field, but if there are many searchers, then each can search very thoroughly nearby.

[7 = TRADUÇÃO] Interações locais entre formigas são a chave para uma busca efetiva. A busca coletiva sempre envolve um trade-off entre rigor, garantia de que nada seja negligenciado e cobertura do solo, garantindo que toda a área seja vasculhada. Considere o que aconteceria se você perdesse um anel de diamante em um campo de futebol. Se você tem apenas alguns amigos para ajudá-lo a procurar, todos eles precisam se mover muito para cobrir todo o campo, mas se houver muitas pessoas procurando, cada um pode averiguar com muita profundidade nas proximidades.

[7 = REVISÃO] Interações locais entre formigas são a chave para uma busca efetiva. A busca coletiva sempre envolve um trade-off entre minuciosidade, garantia de que nada seja negligenciado, e cobertura do solo, garantindo que toda a área seja vasculhada. Considere o que aconteceria se você perdesse um anel de diamante em um campo de futebol. Se você tem apenas alguns amigos para ajudá-lo a procurar, todos eles precisam se mover muito para cobrir todo o campo, mas se houver muitas pessoas procurando, cada um pode averiguar muito bem nas suas proximidades.

[8 = ORIGINAL] Argentine ants solve this problem by using local interactions to regulate their searching. They adjust their search paths to density. When there are many ants searching, each ant turns around a lot, almost at random. If there are only a few ants, they walk in straighter lines. The cue to density seems to be brief antennal contacts with other ants. The apparent rule is: ‘If I meet another ant often, I can turn around more. If I don’t, I have to walk in a straighter line.’ These simple interactions between pairs of ants function in the aggregate to adjust the scale of the network to the optimal size for the number of ants available.

[8 = TRADUÇÃO] As formigas-argentinas resolvem esse problema usando interações locais para regular sua busca. Elas ajustam seus caminhos de pesquisa de acordo com a densidade. Quando há muitas formigas pesquisando, cada formiga gira em torno de um lote, quase ao acaso. Se há apenas umas poucas formigas, elas caminham em linhas mais retas. O sinal da densidade parece ser um breve contato antenal com outras formigas. A regra aparente é: “Se eu encontrar outra formiga com frequência, posso dar uma volta a mais. Se eu não fizer isso, eu tenho que caminhar em uma linha mais reta”. Essas interações simples entre pares de formigas funcionam no agregado para ajustar a escala da rede ao tamanho ótimo para o número de formigas disponíveis.

[8 = REVISÃO] As formigas-argentinas resolvem esse problema usando interações locais para regular sua busca. Elas ajustam seus caminhos de pesquisa de acordo com a densidade. Quando há muitas formigas pesquisando, cada formiga gira em torno de um lote, quase ao acaso. Se há apenas umas poucas formigas, elas caminham em linhas mais retas. O sinal da densidade parece ser um breve contato entre antenas com outras formigas. A regra aparente é: “Se eu encontrar outra formiga com frequência, posso dar uma volta a mais. Se eu não fizer isso, eu tenho que caminhar em uma linha mais reta”. Essas interações simples entre pares de formigas funcionam no agregado para ajustar a escala da rede ao tamanho ótimo para o número de formigas disponíveis.

[9 = ORIGINAL] We recently asked another species of ant to solve this problem in microgravity, in the International Space Station (ISS). We sent pavement ants up to the ISS in small arenas with a barrier inside. To learn how the ants adjust their paths when density decreased, the astronauts opened the barrier, so that the exploring ants suddenly found themselves in a larger space where they met less often. The arenas were very shallow so there was not much room for the ants to float around, but every now and then an ant lost hold of the surface and went skittering around in a Michael-Jackson-like dance, until it was able to get back down. It seemed that the ants were working so hard to stay attached to the surface that they were not able to adjust their paths to search as effectively as the ants in control arenas did on Earth. You can try the experiment yourself in gravity with your favourite ant species (Ant Colony Search); a simple arena, without the beautiful machining that NASA did, works just fine.

[9 = TRADUÇÃO] Recentemente, colocamos outra espécie de formiga para resolver esse problema em uma condição de microgravidade, na Estação Espacial Internacional (ISS). Enviamos formigas para a ISS em pequenas arenas com barreiras internas. Para aprender como as formigas ajustam seus caminhos com a redução da densidade, os astronautas abriram a barreira, de modo que as formigas exploradoras se vissem, de repente, em um espaço mais amplo, onde se encontravam menos frequentemente. As arenas eram bastante rasas, de modo que não havia muito espaço para que flutuassem, mas, de vez em quando, alguma formiga perdia contato com a superfície e saía saltitando numa dança ao estilo de Michael Jackson, até que fosse capaz de descer novamente. Parecia que as formigas estavam se esforçando tanto que não eram capazes de ajustar tão efetivamente seus caminhos para a busca quanto aquelas atuando na arenas-controle na Terra. Você mesmo pode tentar realizar o experimento sob o efeito da gravidade e com sua espécie favorita de formiga; uma simples arena, mesmo sem o belo maquinário da NASA, funcionará suficientemente bem.

[9 = REVISÃO] Recentemente, colocamos outra espécie de formiga para resolver esse problema em uma condição de microgravidade, na Estação Espacial Internacional. Enviamos formigas para a Estação Espacial Internacional em pequenas arenas com barreiras internas. Para aprender como as formigas ajustam seus caminhos com a redução da densidade, os astronautas abriram a barreira, de modo que as formigas exploradoras se vissem, de repente, em um espaço mais amplo, onde se encontravam menos frequentemente. As arenas eram bastante rasas, de modo que não havia muito espaço para que flutuassem, mas, de vez em quando, alguma formiga perdia contato com a superfície e saía saltitando numa dança ao estilo de Michael Jackson, até que fosse capaz de descer novamente. Parecia que as formigas estavam se esforçando tanto que não eram capazes de ajustar tão efetivamente seus caminhos para a busca quanto aquelas atuando na arenas-controle na Terra. Você mesmo pode tentar realizar o experimento sob o efeito da gravidade e com sua espécie favorita de formiga; uma simples arena, mesmo sem o belo maquinário da NASA, funcionará suficientemente bem.

[10 = ORIGINAL] Engineers designing robots to search a burning building, or another planet, are using systems like those of the ants, based on networks of local communication. These swarm methods can be simpler, cheaper and more robust to failure than a system using central control. If each searcher has to relay information back to a central station that in turn makes a map and tells each player what to do, sophisticated central control is required, and if it breaks down, all function is lost. By contrast, local interactions have redundancy; if one doesn’t work, another might.

[10 = TRADUÇÃO] Engenheiros desenhando robôs para fazerem buscas em um prédio em chamas ou noutro planeta, estão usando sistemas como esse das formigas, baseados em redes de comunicação local. Esses métodos de enxameamento podem ser mais simples, baratos e mais robustos às falhas que sistemas usando um controle central. Se um robô de busca tem que repassar informação para uma estação central que por sua vez faz um mapa e diz a cada elemento participante o que fazer, é necessário um sistema de controle central sofisticado, e se este falha, toda a função é perdida. Em contraste com isso, interações locais tem redundância; se uma não funciona outra poderá funcionar.

[10 = REVISÃO] Engenheiros estão desenhando robôs para fazerem buscas em um prédio em chamas, ou em outro planeta, usando sistemas como esses das formigas, baseados em redes de comunicação local. Esses métodos de enxameamento podem ser mais simples, baratos e mais resistentes às falhas que sistemas que usam um controle central. Se um robô de busca tem que repassar uma informação para uma estação central, que por sua vez faz um mapa e diz a cada elemento participante o que fazer, é necessário um sistema de controle central sofisticado, e se este falha, toda a função é perdida. Em contraste com isso, interações locais tem redundância; se uma não funciona outra poderá funcionar.

[11 = ORIGINAL] Local interactions regulate many natural systems. Ecological networks show an enormous variety of types of links: one organism can live inside another, stick to it, climb along it, eat it, feed it by gathering or digesting its nutrients, help it reproduce by carrying its pollen or dispersing its seeds. All organisms operate in some kind of ecological network; no living entity operates independently. Even each of our cells contains organelles joined together in an ancient collaboration among bacteria.

[11 = TRADUÇÃO] Interações locais regulam muitos sistemas naturais. Redes ecológicas mostram uma enorme variedade de tipos de conexões: um organismo pode viver dentro de outro, colar no outro, escalar sobre o outro, se alimentar do outro, alimentar o outro, ajudar na alimentação do outro por ajuntar ou digerir seus nutrientes, ajudar na reprodução do outro por carregar o seu pólen ou dispersando suas sementes. Todos os organismos operam em algum tipo de rede ecológica; nenhuma entidade viva opera independentemente. Mesmo cada uma de nossas células contem organelas unidas por uma colaboração ancestral entre bactérias.

[11 = REVISÃO] As interações locais regulam muitos sistemas naturais. As redes ecológicas mostram uma grande variedade de tipos de links: um organismo pode viver dentro de outro, se apegar a ele, escalar, comer, alimentá-lo coletando ou digerindo seus nutrientes, ajudando-o a reproduzir transportando pólen ou dispersando sementes. Todas as organizações operam em uma espécie de rede ecológica; nenhuma entidade viva funciona de forma independente. Mesmo cada uma de nossas células contém órgãos unidos em uma antiga colaboração entre bactérias.

[12 = ORIGINAL] For example, cancer, like everything else that cells do, progresses in response to local interactions. Cancer cells are the descendants of healthy ones, and they can thrive and proliferate because they still speak the local language of their ancestors. These conversations allow them to find comfortable neighbourhoods in which to metastasise, summon a blood supply, disarm their immune-system cousins, and turn off the instructions from other cells that would stop them from reproducing. Interrupting these conversations would obstruct the growth of the cancer.

[12 = TRADUÇÃO] Por exemplo, o câncer, como qualquer outra coisa que as células fazem, progride em resposta a interações locais. Células cancerosas são descendentes de células sadias, o podem prosperar e proliferar porque elas ainda falam a linguagem local de suas ancestrais. Essas conversações as permitem achar vizinhanças confortáveis aonde podem “metastasizar”, demandar um suprimento de sangue, desarmar suas primas do sistema imunológico e desligar as instruções de outras células que as impediriam de se reproduzir, Interromper essas conversações obstruiria o crescimento do câncer.

[12 = REVISÃO] Por exemplo, o câncer, como tudo o que as células fazem, progride em resposta às interações locais. As células cancerosas são descendentes de células saudáveis, e elas podem florescer e proliferar porque ainda falam a língua local de seus antepassados. Essas conversas permitem que elas encontrem vizinhanças confortáveis para metástase, convoquem um suprimento de sangue, desarmem suas primas do sistema imunológico e desabilitem as instruções de outras células que as impediriam de reproduzir. Interromper essas conversas obstruiria o crescimento do câncer.

[13 = ORIGINAL] Relations among cancer cells account for many of the failures of chemotherapy. Tumours contain many different forms of cancer cells, each derived from a different evolutionary lineage. Even when chemotherapy wipes out detectable signs of a tumour, cancer cells can still remain. Continued application of the poisonous treatment favours the evolution of ever more resistant cells. These resistant cells, no longer competing for resources with their late, more sensitive neighbours, can reproduce rapidly, and there might be no drugs available to kill them.

[13 = TRADUÇÃO] As relações entre células cancerosas são responsáveis por muitas falhas em quimioterapia. Tumores contem muitas formas diferentes de células cancerosas, cada uma derivada de uma linhagem evolutiva diversa. Mesmo quando a quimioterapia extermina sinais detectáveis de um tumor, as células cancerosas podem permanecer. A aplicação continuada do tratamento tóxico favorece a evolução de células ainda mais resistentes. Essa células resistentes, não mais competindo por recursos com suas vizinhas falecidas mas mais sensíveis ao tratamento, podem se reproduzir rapidamente, e podem não haver medicamentos disponíveis para matá-las.

[13 = REVISÃO] As relações entre as células cancerosas são responsáveis por muitas falhas da quimioterapia. Os tumores contêm muitas formas diferentes de células cancerosas, cada uma derivada de uma linhagem evolutiva diferente. Mesmo quando a quimioterapia limpa os sinais detectáveis de um tumor, as células cancerosas ainda podem permanecer. A aplicação contínua de tratamento venenoso favorece a evolução de células cada vez mais resistentes. Estas células resistentes, que não estão em competição por recursos com suas vizinhas falecidas, mas mais sensíveis ao tratamento, podem se reproduzir rapidamente, e podem não haver medicamentos disponíveis para matá-las.

[14 = ORIGINAL] In the same way, human intervention in ecological networks has produced insect scourges of agricultural crops and bacterial infections that drugs cannot stop. Individuals in a population differ from each other in susceptibility. Using the same resources links them to each other by competition – what one individual eats is a loss for another. A pesticide or antibiotic assault kills all but the most resistant individuals, selecting for resistance over susceptibility. The resistant ones suddenly have the resources to grow rapidly in number. New methods are being devised to maintain both susceptible and resistant individuals in the networks of cancer cellspathogens or agricultural pests, so that they continue to compete with each other. Integrated pest-management and ‘adaptive chemotherapy’, for example, both work to kill only some, not all, of the sensitive pests or cancer cells. They leave the rest to help suppress the resistant ones. These new forms of control take into account the local interactions that regulate networks of pests or cells.

[14 = TRADUÇÃO] Da mesma forma, a intervenção humana em redes ecológicas produziu a mutação de insetos em culturas agrícolas e infecções bacterianas que as drogas não conseguem destruir. Os seres em uma população diferem um do outro em susceptibilidade. Usando os mesmos recursos, se ligam uns aos outros pela competição – do que um ser se alimenta é uma perda para outro. Um combate por pesticidas ou antibióticos mata todos os seres, exceto os mais resistentes, selecionando-os em relação à susceptibilidade. Os resistentes de repente têm os recursos para crescer rapidamente em número. Novos métodos estão sendo planejados para manter os seres suscetíveis e resistentes nas redes de células cancerosas, patogênicas ou pragas agrícolas, para que continuem a competir uns com os outros. A gestão integrada de pragas e a “quimioterapia adaptativa”, por exemplo, tanto para matar apenas algumas, nem todas, das pragas sensíveis ou células cancerígenas. Eles deixam o resto para ajudar a suprimir os resistentes. Essas novas formas de controle levam em consideração as interações locais que regulam as redes de pragas ou células.

[14 = REVISÃO] Da mesma forma, a intervenção humana em redes ecológicas produziu a mutação de insetos em culturas agrícolas e infecções bacterianas que as drogas não conseguem destruir. Os seres em uma população diferem um do outro em suscetibilidade. Usando os mesmos recursos, se ligam uns aos outros pela competição – do que um ser se alimenta é uma perda para outro. Um combate por pesticidas ou antibióticos mata todos os seres, exceto os mais resistentes, selecionando-os em relação à suscetibilidade. Os resistentes, de repente, têm os recursos para crescer rapidamente em número. Novos métodos estão sendo planejados para manter os seres suscetíveis e resistentes nas redes de células cancerosas, de patógenos ou de pragas agrícolas, para que continuem a competir uns com os outros. O manejo integrado de pragas e a “quimioterapia adaptativa”, por exemplo, só são eficazes para destruir certas pragas sensíveis ou certas células cancerígenas. Eles deixam o resto para ajudar a remover aqueles que são resistentes. Essas novas formas de controle levam em consideração as interações locais que regulam as redes de pragas ou de células.

[15 = ORIGINAL] Networks come in different shapes, depending on the arrangement of links. The familiar tree-shaped network, for example, is a hierarchy. The factory owner gives orders to the manager, who gives orders to the foremen, who give orders to the workers. Evolution produced phylogenetic tree-shaped networks of ancestors and descendants. The original unicellular organisms gave rise to a huge tree of bacteria, while another split in the trunk led to our small branch of vertebrates, nestled in the batch of twigs called mammals.

[15 = TRADUÇÃO] Redes vêm em formatos distintos, dependendo do arranjo dos vínculos (links, ligações, elos). A rede com formato familiar de árvore, por exemplo, é uma hierarquia. O proprietário da fábrica dá ordens ao gerente, que dá ordens aos capatazes, que dão ordens aos trabalhadores. A evolução produziu redes filogenéticas de ancestrais e descendentes em forma de árvores. Os organismos unicelulares originais fizeram surgir uma enorme árvore de bactérias, ao passo que uma outra divisão no tronco levou ao nosso pequeno ramo dos vertebrados, aninhado num feixe de galhos chamado de mamíferos.

[15 = REVISÃO] Redes ocorrem em formatos distintos, dependendo do arranjo das ligações. A rede com o familiar formato de árvore, por exemplo, é uma hierarquia. O proprietário da fábrica dá ordens ao gerente, que dá ordens aos capatazes, que dão ordens aos trabalhadores. A evolução produziu redes filogenéticas de ancestrais e descendentes em forma de árvores. Os organismos unicelulares originais fizeram surgir uma enorme árvore de bactérias, ao passo que uma outra divisão no tronco levou ao nosso pequeno ramo dos vertebrados, aninhado no feixe de galhos chamado de mamíferos.

[16 = ORIGINAL] The tree and the fully connected network sit at extreme ends of a spectrum of possible network shapes. Human social life can produce complex network shapes, as any girl who has ever been to middle school knows. Two girls are linked in the network by being publicly recognised as friends. The popular girls are the hubs of the network, with many friends, some of whom are also linked to many others, while the loners or outsiders have no friends at all. In between the hubs and the outsiders, we find the girls linked to someone in the golden inner circle, but also some that have no hope of ever being noticed by the anointed.

[16 = TRADUÇÃO] As árvores e as redes completamente conectadas se situam em pólos opostos de um espectro de possíveis formas de redes. A vida social humana pode produzir formas complexas de redes, como deveria saber qualquer garota que tenha frequentado o segundo ciclo do fundamental. Duas garotas estão vinculadas na rede por serem publicamente reconhecidas como amigas. As garotas populares são os nodos concentradores da rede, com muitas amigas, algumas das quais são também ligadas a muitas outras, ao passo que as solitárias ou outsiders não têm uma amiga sequer. Entre concentradoras e outsiders, encontramos garotas ligadas a alguém no círculo interior dourado, mas também algumas sem esperança de serem algum dia notadas pelas ungidas.

[16 = REVISÃO] A árvore e a rede completamente conectada se situam em pólos opostos de um espectro de possíveis formas de redes. A vida social humana pode produzir formas complexas de redes, como qualquer garota que tenha frequentado o segundo ciclo do fundamental sabe. Duas garotas estão vinculadas na rede por serem publicamente reconhecidas como amigas. As garotas populares são os “hubs” da rede, com muitas amigas, algumas das quais são também ligadas a muitas outras, ao passo que as solitárias ou outsiders não têm uma amiga sequer. Entre “hubs” e “outsiders”, encontramos garotas ligadas a alguém no círculo interior dourado, mas também algumas sem esperança de serem algum dia notadas pelas ungidas.

The author’s 6th grade graduation (the author is not in this photo). The two girls facing the camera on the right achieved high betweenness centrality in 7th and 8th grade. Photo courtesy of Marcy Licht Comerchero.
A graduação de 6a. série da turma da autora, que não está na foto. As duas garotas que encaram a câmera conseguiram alta centralidade interceptiva nas 7a. e 8a. séries. Foto cortesia de Marcy Licht Comerchero.

,

[17 = ORIGINAL] Wherever a girl’s position in the network is, it can be described by how completely it is linked to the rest of the network. This is called its ‘betweenness centrality’: it denotes the number of links between all other pairs of nodes that pass through that node. The most popular girl is the one that is the most linked-in – all bonds of friendship eventually pass through her. In my middle school, understanding ‘betweenness centrality’ was so complex, and important, that one girl kept a notebook tracking day-to-day changes in the links. By diagramming who was friends with whom, it was easy to see how close each one was to the Most Popular one, the ‘betweenness centrality’ of each aspirant to the inner circle. At lunch, girls crowded round the owner of the notebook to see where their name came up that day on the list.

[17 = TRADUÇÃO] Onde quer que esteja a posição de uma menina na rede, ela pode ser descrita por meio da sua ligação com o resto da rede. Isso é chamado de  ‘betweenness centrality’: indica o número de links entre todos os outros pares de nós que passam por esse nó. A garota mais popular é aquela em que a ligação de todos os laços de amizade passam, eventualmente, por ela. Na minha escola secundária, a compreensão da  ‘betweenness centrality’ era tão complexa e importante que uma garota mantinha um registo que acompanhava as mudanças do dia a dia nos links. Ao esquematizar quem era amigo de quem, era fácil ver o quão perto todos eram para o mais popular, a  ‘betweenness centrality’ de cada aspirante para o círculo interno. No almoço, as meninas se aglomeraram ao redor do proprietário do caderno para ver onde seu nome apareceu na lista naquele dia.

[17 = REVISÃO] Onde quer que esteja a posição de uma menina na rede, ela pode ser descrita por meio da sua ligação com o resto da rede. Isso é chamado de ‘betweenness centrality’: indica o número de links entre todos os outros pares de nós que passam por esse nó. A garota mais popular é aquela pela qual a ligação de todos os laços de amizade passam, eventualmente. Na minha escola secundária, a compreensão da ‘betweenness centrality’ era tão complexa e importante que uma garota mantinha um registro que acompanhava as mudanças do dia-a-dia nos links. Ao esquematizar quem era amiga de quem, era fácil ver o quão perto todas estava da mais popular, a ‘betweenness centrality’ de cada aspirante para o círculo interno. No almoço, as meninas se aglomeraram ao redor da proprietária do caderno para ver onde seu nome aparecia na lista naquele dia.

[18 = ORIGINAL] Facebook has made many of us into middle-school girls, as its features perform all these functions, and not just at lunch, but 24/7. The software that suggests products for you on Amazon does much the same thing. For every product X that you buy, it counts up the links, the number of times that someone else who bought X also bought Y, Z and so on, and gives the products that are most often linked to X. The H index on Google Scholar, anxiously monitored by academics and reported to deans and tenure committees, is another version. Counting up these local links between scholars, when one cites the work of another, has begun to rule hiring and promotion at universities.

[18 = TRADUÇÃO] O Facebook converteu muitos de nós em garotas de segundo ciclo, pois cumpre diversas dessas funções, e não somente no horário de almoço, mas 24/7. O software que lhe sugere produtos do Amazon faz praticamente o mesmo. Para cada produto X que você compra, ele conta os links, o número de vezes que alguém comprou X e também Z, e assim por diante, além de mostrar os produtos que são frequentemente associados a X. O Índice H do Google Scholar, ansiosamente monitorado por acadêmicos e considerados por reitores e comitês de posse, é outra versão. Ao contar os links entre pesquisadores, sempre que um cita o outro, passou a definir os processos de seleção e contratação nas universidades.

[19 = ORIGINAL] The greater the betweenness centrality of any node, the more power over the network it exerts. In political terms, if you want to rule, set things up so that others cannot act without your permission, ie so that your betweenness centrality is very high and well-enforced. But such power can be undermined by the local; for example, climate change cannot be dismissed when everyone realises it is what they see outside the window (Land Talk), and disparate realities begin to blend when their adherents engage in face-to-face conversation.

[19 = TRADUÇÃO] Maior a ‘betweenness centrality’  (centralidade no entremeio) de qualquer nó, mais poder sobre a rede ele exerce. Em termos políticos, se você quer reger, ajuste as coisas de modo que os outros não possam agir sem sua permissão, isto porque sua ‘betweenness centrality’ é muito alta e bem aplicada. Mas este tipo de poder pode ser minado pelo local; por exemplo, a mudança climática não pode ser ignorada quando todos se dão conta que esta é o que se vê do lado de fora da janela (LandTalk), e realidades disparatadas começam a se mesclar quando seus aderentes se engajam em conversas face a face.

[19 = REVISÃO] Quanto maior a betweenness centrality, mais poderosa é a rede. Em termos políticos, se você quer governar, coloque coisas para que os outros não possam agir sem sua permissão, isto é, dizer que sua betweenness centrality é muito alta e bem aplicada. Mas esse poder pode ser prejudicado pelo local; por exemplo, as mudanças climáticas não podem ser descartadas quando todos percebem que é o que vêem fora da janela (Land Talk), e as realidades díspares começam a se misturar quando seus membros começam uma conversa cara-a-cara.

[20 = ORIGINAL] Atacit recognition of the power of a well-connected network underlies a widespread fear of ants. What is scary about ants on the kitchen counter? A moment’s reflection should reassure anyone that they are indeed much bigger and stronger than even hundreds of ants. What is alarming is the sense that the ants are all connected and working together. But ants function using networks of interactions, not as they do in horror movies, urged on to attack by malevolent leaders. Their effectiveness is not due to powerful individuals who are situated to influence the behaviour of others.

[20 = TRADUÇÃO] Um reconhecimento tácito da força de um network bem conectado subjaz no medo generalizado de formigas. O que é assustador quanto a formigas andando na pia da cozinha? Um momento de reflexão deveria assegurar qualquer um que de fato ele é bem maior e mais forte que até de centenas de formigas. O alarmante é sentir que as formigas estão todas conectadas e trabalhando em conjunto. Mas, formigas funcionam usando redes de interações, e não como em filmes de terror, atiçadas a atacar por lideres malévolos. Sua eficácia não se deve a indivíduos poderosos que estão numa posição de influenciar o comportamento de outros.

[20 = REVISÃO] Um reconhecimento tácito da força de um network bem conectado subjaz no medo generalizado de formigas. O quão é assustador formigas andando na pia da cozinha? Um momento de reflexão deveria assegurar a qualquer um que, de fato ,ele é bem maior e mais forte de que até centenas de formigas. O alarmante é sentir que as formigas estão todas conectadas e trabalhando em conjunto. Mas as formigas trabalham usando redes de interação, não como em filmes de terror, levados a atacar por governantes maliciosos. Sua eficácia não se deve a indivíduos poderosos que estão numa posição de influenciar o comportamento de outros.

[21 = ORIGINAL] Ants do very well without any identity; nothing distinguishes the hubs from the outsiders. Betweenness centrality is not important for them: an ant’s interaction rate depends only on whether it happens to run into others, and ants don’t seem to care which other ant they meet. In his novel War and Peace (1869), Leo Tolstoy argues that local relations among people, rather than the military strategy of the generals, allowed and then repelled Napoleon’s invasion of Russia. As Tolstoy pointed out, rather than following orders, people acted like ants.

[21 = TRADUÇÃO] As formigas o fazem muito bem sem qualquer identidade; nada distingue as “locais” das “estrangeiras”. A centralidade da interação não é importante para elas: a taxa de interação de uma formiga depende apenas do encontro com outras formigas, e as formigas não parecem se importar com as outras formigas que são encontradas. Em seu romance Guerra e Paz (1869), Leon Tolstoy argumenta que as relações locais entre as pessoas, ao invés da estratégia militar dos generais, permitiram repelir a invasão da Rússia por Napoleão. Como Tolstoy apontou, em vez de seguir as ordens, as pessoas agiram como formigas.

[21= REVISÃO A] As formigas se saem muito bem sem terem uma “identidade” (individual) distintiva; não há diferenças visíveis entre formigas de um grupo e as de outro grupo. Estar em um ou outro grupo específico não é o que realmente importa para as formigas: a intensidade das interações de uma formiga depende/decorre unicamente do fato de esta se encontrar com outras em seu caminho e as formigas, ao que parece, não se importam com a origem das outras formigas com as quais se encontram/interagem. No seu romance “Guerra e Paz” (1869), Leo Tolstoy afirmou que as relações locais entre pessoas, muito mais do que as estratégias militares dos generais, tanto permitiram a invasão de Napoleão na Rússia, quanto a sua expulsão, posteriormente. Segundo se depreende do argumento de Tolstoy, as pessoas agem/interagem muito mais como as formigas do que simplesmente seguindo ordens”.

[21 = REVISÃO B] As formigas o fazem muito bem sem qualquer identidade; Nada distingue as formigas mais centrais das da periferia. A betweenness centrality não é importante para elas: a taxa de interação da formiga depende apenas do encontro com outras, e as formigas não parecem se importar com qual formiga elas vão encontrar. Em seu romance Guerra e Paz (1869), Tolstoi argumenta que as relações locais entre as pessoas, e não a estratégia militar dos generais, permitiram repelir a invasão da Rússia por Napoleão. Como Tolstoi apontou, em vez de seguir as ordens, as pessoas agiram como formigas.

[22 = ORIGINAL] Highly connected networks trade resiliency for security. More connections mean easier repair, but also more vulnerability. The Internet of Things will soon let your phone direct your thermostat and coffee machine but not, it is to be hoped, your neighbour’s shower. To prevent this will require a system that allows local connections between some nearby devices, but prevents others. Ants have this problem, too. A few ant species have been observed to read the chemical signals of another species. This links the networks of both species: one finds food and lays a chemical trail; the other species hops onto the same trail, and can take the food instead.

[22 = ORIGINAL] As redes altamente conectadas trocam a resiliência pela segurança. Mais conexões significam uma reparação mais fácil, mas também mais vulnerabilidade. A Internet das Coisas em breve permitirá que seu telefone dirija seu termostato e sua máquina de café, mas não, é o que se espera, o chuveiro do seu vizinho. Para evitar que isso aconteça, vai exigir que um sistema permita conexões locais entre alguns dispositivos próximos, mas que também impeça a conexão com outros. As formigas também têm esse problema. Em algumas espécies de formigas observou-se a capacidade de leitura dos sinais químicos de outra espécie. Isso liga as redes de ambas as espécies: uma espécie encontra alimento e estabelece uma trilha química; outras espécies saltam para a mesma trilha e podem pegar a comida no lugar da primeira espécie.

[22 = REVISÃO A] Redes altamente conectadas preferem a resiliência (plasticidade) à segurança (rigidez). Quanto mais conexões, mais a rede se torna autopoiética, mas, ao mesmo tempo, menos segura/rígida. A “Internet das Coisas” permitirá, em breve, que você controle seu termostato ou a máquina de café por meio do seu telefone/celular, mas, assim esperamos, não o chuveiro de seu vizinho. Para tanto, requer-se um sistema que permita a formação de conexões locais entre aparelhos próximos e determinados, mas não com todo e qualquer aparelho que esteja nas proximidades. A mesma questão se dá com as formigas. Foi constatado que alguns grupos de formigas reconhecem os sinais químicos de outras espécies (de insetos). Isso permite a conexão entre as redes de ambas as espécies: um grupo encontra alimento e deixa um rastro químico formando uma trilha; outro grupo identifica essa trilha e a usa para pegar o alimento para si.

[22 = REVISÃO B] As redes altamente conectadas trocam a resiliência pela segurança. Mais conexões significam uma reparação mais fácil, mas também mais vulnerabilidade. A Internet das Coisas em breve permitirá que seu telefone dirija seu termostato e sua máquina de café, mas não, é o que se espera, o chuveiro do seu vizinho. Para evitar que isso aconteça, vai exigir um sistema que permita conexões locais entre alguns dispositivos próximos, mas que também impeça a conexão com outros. As formigas também têm esse problema. Em algumas espécies de formigas observou-se a capacidade de leitura dos sinais químicos de outra espécie. Isso liga as redes de ambas as espécies: uma espécie encontra alimento e estabelece uma trilha química; outras espécies saltam para a mesma trilha e podem pegar a comida no lugar da primeira espécie.

[23 = ORIGINAL] How a network changes depends not just on its shape, but on how quickly and how often the local connections shift. Neural networks, for example, form links slowly, a fact that profoundly influences human society. Neurons must grow to find others, and the growth of neurons produces the synapses that carry signals. If synapses in neural networks are not used, they get pruned, disappearing from the axon. Pruning happens much more rapidly in young mammals than in old ones; networks in the brains of babies are in rapid flux. In this way, the time course of change in neural networks shapes another network, that of the family, which is based on the obligation to protect babies while their brains are forming, until they can protect themselves.

[23 = TRADUÇÃO] A mudança de uma rede muda não depende apenas da sua conformação, mas da rapidez com que frequência as conexões locais mudam. As redes neurais, por exemplo, formam links lentamente, fato que influencia profundamente a sociedade humana. Os neurônios devem crescer para encontrar outros, e o crescimento dos neurônios produz as sinapses que transportam sinais. Se as sinapses nas redes neurais não são usadas, elas são suprimidas, desaparecendo do axônio. A supressão acontece muito mais rapidamente em mamíferos jovens do que nos velhos; as redes nos cérebros dos bebês estão em fluxo rápido. Desta forma, o curso do tempo de mudança nas redes neurais conforma outra rede, a da família, que se baseia na obrigação de proteger os bebês enquanto seus cérebros estão se formando, até que eles possam se proteger.

[23 = REVISÃO] A mudança de uma rede não depende apenas da sua conformação, mas da rapidez com que frequência as conexões locais mudam. As redes neurais, por exemplo, formam links lentamente, fato que influencia profundamente a sociedade humana. Os neurônios devem crescer para encontrar outros, e o crescimento dos neurônios produz as sinapses que transportam sinais. Se as sinapses nas redes neurais não são usadas, elas são suprimidas, desaparecendo do axônio. A supressão acontece muito mais rapidamente em mamíferos jovens do que nos velhos; as redes nos cérebros dos bebês estão em fluxo rápido. Desta forma, o curso do tempo de mudança nas redes neurais conforma outra rede, a da família, que se baseia na obrigação de proteger os bebês enquanto seus cérebros estão se formando, até que eles possam se proteger.

[24= ORIGINAL] An epidemic is another form of network whose time course dependson how links are formed, as one sick person infects another. The epidemic spreads most steadily, in a widening wave of disease, when everyone is easily linked to everyone else. If a virus can live on door handles, faucets and elevator buttons, a quick touch can infect passing strangers. The movie Contagion (2011) presented a terrifyingly realistic example, based on the actual spread of SARS in 2002 from a hotel in Hong Kong, of a network of infection that spread quickly around the world. In the film, a virus proceeded from a handshake between a chef and client, to the waiter who touched the client’s glass, and on from there to everyone who touched any object any of them had touched. The first infected person went to an airport and flew to another continent, and a worldwide epidemic was launched.

[24 = TRADUÇÃO] Uma epidemia é outra forma de rede cujo curso de tempo depende de como os links são formados, assim que uma pessoa doente infecta outra. A epidemia difunde-se de forma mais constante, em uma onda de doença que se alarga, quando cada um está facilmente ligados a cada um dos outros. Se um vírus pode viver em alças de porta, torneiras e botões de elevador, um toque rápido pode infectar pessoas diferentes que passam. O filme Contagion (2011) apresentou um exemplo assustadoramente realista, baseado na disseminação da SARS em 2002 de um hotel em Hong Kong, de uma infecção que se espalhou como uma rede rapidamente em todo o mundo. No filme, um vírus veio de um aperto de mão entre um chef e cliente, para o garçom que tocou os óculos do cliente e, a partir daí, para todos os que tocavam qualquer objeto que algum deles tocou. A primeira pessoa infectada foi para um aeroporto e voou para outro continente, e uma epidemia mundial se iniciou.

[24 = REVISÃO] Uma epidemia é outra forma de rede cujo curso de tempo depende de como os links são formados, assim que uma pessoa doente infecta outra. A epidemia se espalha mais regularmente, em uma crescente onda de doenças, quando todos estão facilmente conectados a todos. Se um vírus pode viver em maçanetas de porta, torneiras e botões de elevador, um toque rápido pode infectar pessoas diferentes que passam. O filme Contágio (2011) apresentou um exemplo assustadoramente realista, baseado na disseminação da SARS em 2002 de um hotel em Hong Kong, para uma infecção que se espalhou como uma rede rapidamente em todo o mundo. No filme, um vírus que veio de um aperto de mão entre um chef e um cliente, para o garçom que tocou os óculos do cliente e, a partir daí, para todos os que tocavam qualquer objeto que algum deles tocou. A primeira pessoa infectada foi para um aeroporto e voou para outro continente, e uma epidemia mundial se iniciou.

[25 = ORIGINAL] By contrast, when an infection requires special circumstances to be transmitted, the time course of an epidemic will be slower and more erratic. At first, there is a rapid burst in the numbers of sick people, as all the hubs, the people who are in a position to transmit to many people, infect everyone they can. After that, the disease will ooze out more slowly from those with fewer links. For example, for one person to infect another with a sexually transmitted disease, a lot more has to happen than a quick touch of a door handle, and so people vary greatly in the numbers they infect. Initially, HIV travelled quickly among people who had many sexual contacts, but then, in places where people had access to information and to condoms to prevent transmission, the virus no longer reached all the sexual partners of all infected people, and its rate of spread slowed. Vaccines slow down epidemics not just because the vaccine prevents infection, but because every person not infected does not then spread it herself.

[25 = TRADUÇÃO] Em contraste, quando uma infecção requer circunstâncias especiais pra ser transmitida, o curso do tempo de uma epidemia será mais lento e mais errático. Em primeiro lugar, há uma explosão no número de pessoas doentes, simultaneamente em todos os centros, as pessoas que estão em posição de transmitir para muitas pessoas, infectam todos os que podem. Depois disso, a doença fluirá mais devagar daqueles centros com menos links. Por exemplo, para que uma pessoa infecte outra com uma doença sexualmente transmissível, muito pode acontecer antes do contágio, e as pessoas variam muito nos números que infectam. Inicialmente, o HIV viajou rapidamente entre pessoas que tiveram muitos contatos sexuais, mas, em locais onde as pessoas tinham acesso a informações e aos preservativos para prevenir a transmissão, o vírus já não atingiu todos os parceiros sexuais de todas as pessoas infectadas e sua taxa de propagação caiu. As vacinas diminuem as epidemias, não apenas porque a vacina previne a infecção, mas porque todas as pessoas que não estão infectadas ficam, então, alertas.

[25 = REVISÃO] Em contraste, quando uma infecção requer circunstâncias especiais pra ser transmitida, o período de uma epidemia será mais lento e mais errático. Em primeiro lugar, há uma explosão no número de pessoas doentes, já que todos os centros, as pessoas que estão em posição de transmitir para muitas pessoas, infectam todos ao seu alcance. Depois disso, a doença fluirá mais devagar a partir daquelas com menos ligações. Por exemplo, para que uma pessoa infecte outra com uma doença sexualmente transmissível, muito mais do que um toque rápido em uma maçaneta de porta tem que acontecer, e assim sendo, há uma ampla variação no número de pessoas que cada uma pode infectar. Inicialmente, o HIV viajou mais rapidamente entre pessoas que tiveram muitos contatos sexuais, mas, então, em locais onde as pessoas tinham acesso a informações e a preservativos para prevenir a transmissão, o vírus já não atingiu todos os parceiros sexuais de todas as pessoas infectadas e sua taxa de propagação caiu. As vacinas diminuem as epidemias não apenas porque a vacina previne a infecção, mas porque todas as pessoas que não estão infectadas não as espalham mais.

[26 = ORIGINAL] Networks in nature show how, for the networks that we engineer and those that tie us to each other, the pattern of links at the local scale sets the options for stability and transformation. Almost everything that happens in life is the result of a network. Making, or breaking, local links is the way to change.

[26 = TRADUÇÃO] As redes na natureza mostram como, para as redes que construímos e aqueles que nos ligam uns aos outros, o padrão de links na escala local define as opções de estabilidade e transformação. Quase tudo o que acontece na vida é o resultado de uma rede. Fazendo ou quebrando links locais: [este] é o caminho para mudança.

[26 = REVISÃO] As redes na natureza mostram como, para as redes que construímos e para aquelas que nos ligam uns aos outros, o padrão de ligações na escala local define as opções para estabilidade e transformação. Quase tudo o que acontece na vida é o resultado de uma rede. Fazer ou quebrar ligações locais: [esta] é maneira de mudar.

 

Se você quiser se conectar a uma comunidade de investigação que está trabalhando no desenvolvimento de uma nova teoria interativista da aprendizagem e ser mais um pesquisador associado, saiba como clicando aqui http://humana.social/comunidade-de-investigacao/

Quer aplicar tudo isso? Conheça o HUMANA.SOCIAL – Aprendizagem Interativa (antigo INOVA-EDU), um curso no qual você pode aplicar a aprendizagem interativa: https://redes.org.br/humana/

Comentários

comentários